A córnea é uma estrutura transparente, quase esférica e regular. Através dela os raios luminosos penetram o olho e são captados pela retina para formação da imagem. Qualquer distorção na córnea causa redução na qualidade da imagem.

O ceratocone é uma desordem ocular não inflamatória na qual mudanças estruturais na córnea a tornam mais fina e com formato mais cônico, causando distorção na visão. Geralmente os casos são bilaterais, podendo apresentar estágios diferentes da doença em cada olho. Homens e mulheres são afetados na mesma proporção. O ceratocone geralmente aparece na adolescência ou em adultos jovens e progride até os 35 a 40 anos de idade.

Na fase inicial, o ceratocone apresenta-se como um astigmatismo irregular, levando o paciente a trocar o grau do astigmatismo com freqüência. O principal sintoma é a visão borrada e distorcida tanto para longe quanto para perto. Pode ocorrer também diplopia (visão dupla), poliopia (percepção de várias imagens de um mesmo objeto), halos em torno das luzes, fotofobia (sensibilidade excessiva à luz) e coceira. Sabe-se que um número considerável de pacientes com ceratocone tem um componente alérgico associado.

O diagnóstico definitivo desta patologia é feito com base nas características clínicas e com exames objetivos, como a topografia corneana e a paquimetria ultrassônica. A evolução da doença pode parar em qualquer fase, seja ela moderada ou severa. A forma de progressão é variável, assim como a severidade. Com a evolução da doença há uma piora da visão devido o aumento da curvatura da córnea.

O tratamento do ceratocone visa sempre proporcionar uma boa visão ao paciente, as alternativas variam de acordo com o estágio da doença: 

• Óculos: nos estágios iniciais podemos conseguir uma boa acuidade visual com uso de óculos para corrigir baixos astigmatismos e miopias.

• Lentes de Contato: a partir do momento em que os óculos não conseguem fornecer uma acuidade visual satisfatória, a lente de contato é a próxima alternativa. Existem lentes de contato gelatinosas especiais para ceratocone, lentes rígidas, lentes bicurvas e lentes esclerais. A melhor lente sempre será aquela que proporcionar a melhor acuidade visual, conforto ao longo do dia e que assegure a saúde fisiológica da córnea.

• Cross-linking: o cross-linking é um tratamento que visa evitar a progressão do ceratocone. Ele consiste na aplicação de uma luz ultravioleta em uma córnea previamente impregnada com riboflavina (vitamina B2). O resultado desse processo é a criação de mais ligações covalentes no estroma o que aumenta a resistência mecânica da córnea, diminuindo a chance de progressão da doença. (vide cross-linking)

• Anel intraestromal: os implantes de segmentos circulares, chamados de anéis intracorneanos ou intraestromais, são uma alternativa para o tratamento do ceratocone, quando o paciente não alcança boa acuidade visual com as lentes ou torna-se intolerante as mesmas. Esses implantes visam adiar ou até mesmo evitar o transplante de córnea.

• Transplante de Córnea: nos casos de ceratocone avançado com opacidade corneana ou em córneas muito finas há contra-indicação ao uso de anel. Nesses casos podem ser necessário a realização de transplante de córnea, penetrante ou lamelar, para o restabelecimento da visão.

Laser Vision | Tecnologia que você vê | Rua Alfredo Chaves, 547 • 54 3028.8488